domingo, 16 de novembro de 2008

Trânsito

Quem me conhece pessoalmente sabe o quanto eu sofro com o trânsito. Não que eu seja ruim de roda - não sou, embora seja bem "pé pesado" -, mas uma série de coisas me incomoda:

1) Aqui em BH, parece que existe uma campanha não-declarada chamada "Seta Zero". O carro da frente anda feito uma lesma, você se prepara para ultrapassar, e de repente, não mais que de repente, ele converge à esquerda, mal dando tempo para você pisar no freio. Quando se é pedestre, é pior ainda, porque você nunca sabe exatamente o que o carro na via transversal vai fazer. Chega a ser um cara-ou-coroa, você sempre tem 50% de chances de ser atropelada se atravessar naquele momento. Para os belorizontinos, seta é um opcional que, se pudessem, eles não escolheriam no momento da compra do carro.

2) Gente lerda na pista da esquerda. Isso era um problema carioca clássico, mas virou também um problema beaguense. Não tenho nada contra lerdos, mas que eles permaneçam na linda pista da direita, que é especialmente reservada para eles. A pista da esquerda é de quem quer andar. Isso, é claro, não vale para a Inglaterra e alguns outros países, mas realmente não conheço muitos imigrantes londrinos por aqui. Aliás, isso acaba gerando o hábito de ultrapassar pela direita, e a pista da direita, em geral, é a mais vazia, e a que mais anda. Só falta colocarmos agora um aviso de "Look Right" nas travessias de pedestre, e já dá pra implementar a mão inglesa.

3) Estacionamento em fila dupla. Mais ainda em avenidas movimentadas, ou ruas que ligam essas avenidas. Existem algumas ruas que eu já apelidei de trechos de rally. São três pistas, mas em geral só uma está disponível para o trânsito normal, porque nas outras duas há carros com o pisca-alerta ligado, em fila dupla. Pisca-alerta é uma maravilha, faz o carro ficar invisível, insípido, inodoro e imune às regras de trânsito.

4) Carros andando em duas pistas. É a famosa "síndrome de Autorama". O pessoal cresceu brincando de Autorama, e aprendeu que o carrinho tem que andar em cima da linha, não entre as duas linhas. Haja auto-escola para desaprender lições tão precoces. Outra opção é que eles talvez estejam pagando alíquota dobrada do IPVA, o que dá a eles o direito de ocupar o espaço de dois carros. Curiosamente, em geral estão dirigindo devagarinho, de forma a deixar o motorista logo atrás muito feliz por não poder ultrapassá-los.

5) Falar ao celular no trânsito. Sou obrigada a fazer um "mea culpa", aqui, e admitir que de vez em quando faço isso. Mas agora tenho um super equipamento de viva-voz instalado no carro, o que me redime. Além de ser super perigoso tentar dirigir com a cabeça inclinada para o lado, equilibrando o telefone com o ombro (e péssimo para a postura!), ou com uma mão segurando o bichinho, é também terrivelmente irritante. As pessoas falando no celular são as que mais costumam praticar todas as outras coisas irritantes anteriormente mencionadas - afinal, como dar seta com uma mão no volante E no câmbio, e outra segurando o celular?

6) Motoqueiros. Digam o que quiserem, que eles são essenciais à vida moderna, que estão só trabalhando, mas eu ODEIO motoqueiros. Eles saem costurando entre os carros, entram na sua frente, e, quando o sinal abre, estão tão ocupados olhando alguma coisa na moto, ou uma mocinha bonita passando na calçada, que não arrancam. E tente buzinar para ver, ele começa a andar lentamente, no meio da pista. Isso quando não praticamente arrancam o retrovisor do carro, arranham a pintura, fazem super cortadas pela direita e ainda reclamam se você tinha a inocente idéia de fazer uma conversão (e tinha até dado seta!). Depois, um deles cai, e a culpa é do carro. E ainda querem indenização pelos dias parados. Que me perdoem os (eventuais, raros, e, para mim, desconhecidos) bons motoqueiros por aí, mas a média da raça é lastimável.

É claro que essas são só as coisas mais irritantes. Além delas, tem o pessoal que não arranca quando o sinal abre, a turma que quase estaciona o carro para fazer uma conversão (ou que invade a outra pista, num claro sintoma de "síndrome de Scania", muito comum em carros Fiat Uno e Ford Ka), a galerinha indecisa que dá seta para um lado e vai para o outro, os insuportáveis que grudam na sua bunda quando você dá seta e sinaliza que vai fazer uma baliza (rima involuntária), os "mano" que têm um som automotivo que vale mais que o carro e dirigem escutando funk no último volume, os pedestres que esperam o sinal ficar verde para atravessar...

No fundo, o que me irrita no trânsito é o que me irrita com os vizinhos: o incômodo gerado pela convivência forçada, por essa dependência em relação à boa-educação alheia, que em geral é falha. E nem adianta pegar ônibus, a coisa fica pior ainda. O melhor é respirar fundo, colocar uma musiquinha agradável, fazer lições de meditação zen, e assimilar que a tendência é que o buraco fique cada vez mais fundo. Como diria a Marta, tem que relaxar e gozar - será que com um insufilme mais escuro tem jeito?

12 comentários:

Sara Favinha disse...

Oh amiga, veja minha situação. Mudei de Valinhos, para São Paulo... consegue imaginar?

thiago disse...

adorei vc, pela foto, pela sua discrição! nao sei o tipo de homem que vc gosta, tenho 20 anos.. fiz 1 semestre de psicologia, mas nao era muito a minha praia e agora estou prestando vestibular para ed. fisica... moro em curitiba, conhece aqui? estas convidada a vir e me conhecer se quiser! bjos

meu msn: ticoctba@hotmail.com

Ventania disse...

Hei! Menina você tá virando uma verdadeira ogra, prefere o pântano! rsrs
Agora é verdade, concordo em gênero número e grau com tudo que disse - principalmente com os q andam meia bunda (meia bunda numa pista, meia bunda na outra) e os motoboys. Você não imagina o que essas motinhas malditas fazem na BR e no anel rodoviário!
Quanto ao lançamento do livro, não posso ir! Tô arrasada... mas meu marido viajou e eu não tenho com quem deixar minha filhota. Vai por mim, curte bastante, dá um beijo na Cristina e depois me conta, tá?!
Bjok. Desirée

Flá disse...

Uma das coisas que mais me chamou atenção depois da nossa mudança é que em muitos cruzamentos não tem semáforo e sim a placa de STOP pra todas as vias. Assim, quem chega primeiro, sai primeiro e o trânsito flui super bem porque todo mundo respeita. Coisa inimaginável em SP, por exemplo (imagino que em BH tbm, mas nunca estive aí).
E outra que aqui carro para pro pedestre em todos os casos.
Eu e o Eri já estamos certos que seremos atropelados em nossa visita à terrinha... heheheh

Ana Maria disse...

hahahaha mto bom esse texto...
nossa!! me identifiquei mto, como me irrita td isso, mas de todos o pior pra mim são os lerdos..

Outro dia um carro na minha frente a menos de 40 km/h, numa avenida movimentada

Tudo livre na frente e ele no meio da Pista (sindrome de autorama foi mto bom..hehe) e devagar quase parando,não me deixava passar nem pela direita nem pela esquerda e eu desesperada, tentando me safar do lesma...

Qdo consigo ultrapassar, claro, olho pra ver quem era a criatura e me surpeendo ao ver um homem de seus 40 e poucos anos, todo gordinho, chupando calmamente um pirulito de bolinha e dirigindo com uma mão só..

Posso com isso??????? rsrs

Sara Favinha disse...

Boa sorte no Desafio mineirinha!!! :)

Ana disse...

Dehzinha do meu coração. Eu juro que cheguei a pensar que você veio pra Itatiba e não passou em casa!

Os problemas são os mesmos. Só que aqui ainda tem o agravante de as ruas não seguirem uma lógica. Você está na sua mão e, quando menos espera, a mesma rua vira contra-mão.

Em tempo: eu ri MUITO com a Síndrome do Autorama! Essa eu nunca tinha escutado! HAIUEHAE

Beijinho!

F. Gomes disse...

Ah, meu amor é uma gata muito linda e absurdamente inteligente e sedutora. No trânsito... apesar de virar uma pilha, ela continua deliciosamente linda, inteligente e sedutora... Ela dirige superbem, e isso é só mais um motivo para eu ser louco doidinho por ela...

Pati disse...

Pô, Deborah, dá uma chance aí ao moleque da "discrição" ;)

Sobre o post, BH pode ser o que for, mas ainda assim acho o trânsito civilizado. No Rio, por exemplo, não existem leis. Nego faz o que quer e fica por isso mesmo. A BHTrans pelo menos gosta de multar...

Luiza disse...

só rindo mesmo...
falta de educação, um mal que ainda não tem remédio para nós, pbres mortais.
beijos

AdrianoIsON disse...

Tem certeza que vc não ta falando de Campos-RJ?...

Ticiano disse...

Então eu deveria odiar os motoristas de carro, porque me dão muitas fechadas quando estou na minha moto. Aiai. Vamos construir uma cultura de ódio no trânsito.
Dando continuidade ao que você começou: Ódio aos motoristas de carro!